Mais

    TSE identifica R$ 620 mil de “irregularidades” nas contas da campanha de Lula e cobra esclarecimentos

    Os técnicos do TSE identificaram R$ 620 mil em irregularidades nas contas de campanha do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    Com base no levantamento, o ministro da corte Ricardo Lewandowski determinou que a coligação do petista preste esclarecimentos em três dias.

    As falhas apontadas envolvem despesas de bancadas com recursos do fundo eleitoral e gastos com propaganda e impulsionamentos julgados irregulares pelo TSE.

    A chapa formada por Lula e Alckmin declarou à corte eleitoral R$ 133,3 milhões em despesas, sendo mais de 90% bancadas com dinheiro do fundo eleitoral.

    Entre os possíveis problemas encontrados pela área técnica do tribunal, a parcela mais significativa, no valor de R$ 196 mil, foi referente à ausência de comprovação de despesas realizadas na proximidade da eleição.

    Foram identificadas despesas com adesivos e materiais impressos realizadas no dia 28 de outubro, a sexta-feira anterior ao domingo da votação do segundo turno.

    “Trata-se de despesas que, pelas suas características e pela data em que foram contratadas, necessitam de comprovação adicional além da documentação fiscal”, afirmou a Asepa (Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias) do TSE.

    Sem a documentação adicional, frisou o órgão, “não é possível averiguar a efetiva prestação do serviço”. A chapa petista apresentou nove notas fiscais, emitidas por cinco pessoas jurídicas.

    “A documentação apresentada não contempla amostras do material físico produzido. Em alguns casos, foram incluídas as artes digitais, porém estas não comprovam a produção gráfica contratada”, diz trecho do relatório do TSE.

    Foi identificada também nota fiscal relativa a serviços gráficos emitida em favor da campanha, no valor aproximado de R$ 146 mil, sem o devido registro na prestação de contas em exame. O documento foi obtido pelo TSE por intermédio de convênio com secretarias de Fazenda estaduais e municipais.

    leia também

    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    Ver todos comentários
    0
    Faça um comentáriox